sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Se eu fosse mãe...

Não sei que tipo de mãe seria, se seria muito liberal, se seria muito autoritária, se seria muito protectora, enfim, também dependeria tipo de filho teria, se seria tímido, educado, desobediente, carinhoso, etc. Não faço a mínima ideia, porque dizem que os filhos são o que os pais criam em casa, não sei se será bem assim, porque assim, os irmãos seriam todos com o mesmo feitio e personalidade, e no entanto, às vezes não poderia ser mais diferentes.
...adiante..
Isso, para dizer que, quando saio para a noite, só se vê malta muito nova, adolescentes propriamente, nas discos nem se fala então, até sinto-me cota e tenho 34, vou ao Bairro Alto...socorrooo, à zona da Expo...nem se fala, e todos cheios de telemóveis e com roupas de marca e todos a beberem álcool! Chamem-me retrograda mas, na minha adolescência não havia nada disso, ou pelo menos  só quem era mesmo rico, nem mesmo os remediados, e ainda me lembro quando saiu o primeiro telemóvel...
Não podia entrar numa discoteca sendo menor, só na companhia de um adulto e pediam-nos o B.I., agora as discos facilitam tanto que até acho que já vi putos de 13 anos lá. 
Por isso digo, que tipo de mãe seria? Ia deixar um filho meu fazer o mesmo? Ia deixá-lo beber álcool? Eu até fico arrepiada só de imaginar certas coisas, e na noite onde o perigo espreita mais, mas por mais que um pai ou mãe faça, nem sempre os impede de se meterem em drogas ou coisas do género, um pai não pode estar 24h por dia com um filho! 
Hoje quando me perguntam se eu gostaria de ter filhos, às vezes fico com receio de dizer que não gostaria, porque por vezes me julgam, que toda a mulher devia de ser mãe....pois pois, uma merda isso sim, ser mãe solteira?? Não obrigada, sim porque, hoje em dia é isso mesmo, e como tal, prefiro não os ter...eu não faço questão, ou tenho condições para tal, ou então mais vale não ter, porque sei das privações que já passei nessa vida, e penso muito se tivesse um filho hoje e com as dificuldades que estamos todos a viver nem quero imaginar...ter por ter, não tenho, não me sinto menos mulher por isso, pelo contrário, estou a ser mulher o suficiente ao pensar assim, mas no fundo sei que se fosse mão muito amor e carinho nunca ia faltar...



Sem comentários: